quinta-feira, 8 de abril de 2010

Portugal tem mais de 500 crianças que ninguém quer adoptar


Um relatório da Segurança Social revela que existem mais de 500 crianças em Portugal à espera de adopção por não serem brancas, terem mais de três anos ou sofrerem de problemas de saúde.

Um relatório da Segurança Social entregue, quarta-feira, na Assembleia da República revela que, no final de 2009, Portugal tinha cerca de 9500 crianças e jovens a viver em instituições de acolhimento, acrescentando que actualmente existem mais de 500 crianças que ninguém quer adoptar.
O relatório conclui que os candidatos a pais limitam os critérios na altura da adopção, sendo que cerca de 80 por cento prefere um filho branco, mais de 90 por cento quer uma criança até aos três anos e sem problemas de saúde.
No total, em Fevereiro de 2010, havia 574 crianças à espera de serem acolhidas e 2493 pais que aguardavam adoptar.
O documento sobre a situação das crianças e jovens em acolhimento indica que, em 2009, mais de 2 mil crianças foram recebidas em instituições, pertencendo a maioria aos distritos do Porto, Lisboa e Braga.
O estudo explica que as crianças e jovens que chegam às instituições são cada vez mais velhas, precisando que cerca de 60 por cento tem mais de 12 anos. A Segurança Social concluiu que 1221 menores apresentam «problemas comportamentais graves» - puníveis por lei - problemas de saúde mental ou toxicodependência, acrescentando que mais de uma centena das crianças e jovens em causa fugiu de lares de acolhimento.
  - TSF-Online -
.