quarta-feira, 10 de março de 2010

Annapurna, mais de 8000m para escalar...

  «As expectativas são altas, é um projecto bastante ambicioso tentar escalar as 14 montanhas com mais de oito mil metros. É um projecto que já comecei há 17 anos atrás e estou na recta final: falta-me o Annapurna», afirmou o alpinista à agência Lusa, acrescentando que    «nada é garantido» e que «grandes feitos acarretam grandes responsabilidades».

  João Garcia, que se mostrou «bastante confiante» e preparado para o desafio, reconhece que «o Annapurna é uma montanha muito perigosa devido à queda de degelos».
«Nós decidimos escalar pela face Norte que tem uma série de glaciares e temos de andar dentro desses glaciares, onde existem constantes avalanches, quedas de blocos de gelo. É um lugar perigoso», confessou.
  Mas o perigo não demove o alpinista português de 42 anos: «Para minimizar esse risco, é (preciso) sermos o mais rápidos possível. Treinei bastante, sinto-me bastante confiante porque tudo o que estava ao meu alcance foi feito».
  O alpinista vai integrar uma expedição composta também por dois polacos, dois russos, um basco e um romeno.
  «Seremos sete alpinistas, todos temos bastante experiência nestes cumes com mais de oito mil metros e, estando num grupo forte, as probabilidades são ainda melhores», explicou.
  O alpinista aponta 28 de Maio como data provável de regresso a Portugal mas salvaguarda que «tudo se reorganizará» em função do dia em que cumpram o objectivo.
  Para João Garcia, esta expedição ao Annapurna, de 8091 metros, é o projecto «sem o qual nada faz sentido»: «Tudo o que tenho feito nestes últimos 17 anos da minha vida é o projecto à conquista dos picos do mundo».
  O alpinista escalou já 13 das 14 montanhas com mais de oito mil metros de altitude.
  A expedição com que se notabilizou foi a do Monte Evereste, de 8848 metros, em 1999, tendo sido o primeiro português a chegar ao topo daquele cume, sem recurso a oxigénio e sem carregadores de altitude.
-  Lusa / SOL -