quarta-feira, 21 de julho de 2010

QUATRO MESES EM CIMA DE UMA GRUA

VIVER EM PROTESTO A 40 METROS DE ALTURA

Doney Ramirez está a viver há mais de quatro meses no cimo de uma grua a mais de quarenta metros de altura na localidade de Pozuelo de Alarcón. Esta reivindicação já é um dos simbolos desta crise económica.
No centro desta localidade, este homem protesta porque a sua empresa, Estructuras Jibar, não recebeu pelos trabalhos já realizados a outra empresa que o subcontratou, Ploder Uicesa, adjudicatária das obras de remodelação da praça deste povoado.
Ainda lhe devem 150.000 euros, mas a Ploder que suspendeu os pagamentos continua o projecto com uma empresa portuguêsa de construções.
Doney, colombiano residente em Espanha há dez anos, subiu para a grua com a intenção de chamar á atenção para a situação de todos os colegas. Passados quatro meses, e para que a sua luta não seja esquecida, diz: "Tenho forças para resistir. Depois do que já passei aguentarei até ao final e o final é quando nos pagarem o que nos devem. É o nosso trabalho." É o que diz para uma camara que ele mesmo maneja. No pé da grua tem uma estrutura matálica que impede alguém de subir.
"Já aguentei frio, neve, chuva, ventos e agora muito calor", diz este trabalhador mas o que mais lamenta é estar separado de sua mulher e seus tres filhos. A sua esposa, Maria Eugénia, trabalha todo o dia para sustentar a familia. "Muitas vezes já pensei se vale a pena tanto sacrificio, mas levarei o protesto até ao fim", diz Doney.
Para ver este protesto em vídeo, clica aqui.
 - Telecinco-Online -
: