sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Terra prepara-se para ‘criar’ um novo supercontinente

Amásia deverá formar-se no Árctico e será a fusão da América com a Ásia.

 


A forte atracção que o Pólo Norte exerce vai levar, dentro de 50 a 200 milhões de anos, à fusão da América com a Ásia, dando origem a Amásia, aquilo que os cientistas norte americanos acreditam ser o próximo supercontinente.
De acordo com a investigação publicada na revista «Nature», ambos os continentes serão complementados pelo Pólo Norte através de uma cadeia montanhosa que permitirá atravessar do Alasca à Sibéria e vice-versa.
Os geólogos da Universidade de Yale acreditam ainda que a América ficará situada sobre o anel de fogo do Pacífico, uma área de intensa actividade sísmica e vulcânica, mas sua topografia mudará radicalmente porque a atracção para o Pólo vai juntar a América do Sul com a do Norte. Essa mudança fará, ao mesmo tempo, desaparecer o Oceano Árctico e o mar do Caribe.

A Terra já assistiu ao nascimento de um supercontinente há 300 milhões de anos, quando todas as massas terrestres se fundiram no equador, dando origem à Pangeia, situada onde hoje está a África ocidental.

Segundo os cientistas de Yale, a Amásia deverá formar-se no Árctico, a 90 graus do centro geográfico do supercontinente anterior, a Pangeia. Os geólogos chegaram a esta conclusão depois de analisar o magnetismo de rochas antigas para determinar as suas localizações no globo terrestre ao longo do tempo. Além disso mediram como a camada directamente abaixo da crosta terrestre, o manto, move os continentes que flutuam à sua superfície.

De acordo com Peter Cawood, geólogo na universidade britânica de St Andrews, citado pela revista Nature, é fundamental compreender a disposição das massas dos continentes para entender a história da Terra. “As rochas são a nossa janela para a história”.
   - in CiênciaHoje -