terça-feira, 28 de junho de 2011

SOL E PLANETAS
NÃO FORAM CONSTRUIDOS COM OS MESMOS MATERIAIS

Depois de analisar cuidadosamente amostras trazidas pela sonda espacial Génesis, cientistas da NASA descobriram que o nosso Sol e seus planetas interiores podem ter-se formado de maneira diferente do que se pensava.
Os dados revelaram diferenças entre o Sol e os planetas no oxigénio e no nitrogênio, que são dois dos elementos mais abundantes no nosso Sistema Solar.
Embora a diferença seja pequena, as implicações podem ajudar a determinar como o nosso Sistema Solar evoluiu.
A teoria mais aceite actualmente para a formação dos sistemas planetários propõe que o material que sobra da nebulosa original - depois que a estrela se formou - agrega-se para formar os planetas.
Se fosse assim, não deveria haver disparidade entre os elementos que formam cada um dos corpos celestes do sistema.
A equipa ciêntifica da sonda descobriu que a Terra, a Lua, assim como Marte e outros meteoritos que são amostras de asteroides, têm uma menor concentração de O-16 do que o Sol. A implicação é que eles não se formaram a partir dos mesmos materiais da nebulosa que criou o Sol - como e porque é algo ainda está por descobrir.
O ar na Terra contém três tipos diferentes de átomos de oxigénio, que são diferenciados pelo número de nêutrons que eles contêm. Quase 100 por cento dos átomos de oxigénio no Sistema Solar são compostos de O-16, mas há também pequenas quantidades de isótopos de oxigênio mais exóticos, chamados O-17 e O-18.
Pesquisadores que estudaram o oxigénio nas amostras trazidas pela Genesis descobriram que a porcentagem de O-16 no Sol é ligeiramente mais alta do que na Terra ou nos outros planetas terrestres. As porcentagens dos outros isótopos são ligeiramente mais baixas.
Os dados foram obtidos a partir da análise de amostras coletadas do vento solar pela Génesis - o material ejetado da porção externa do Sol.
Esse material é uma espécie de fóssil da nossa nebulosa original, porque a maior parte das evidências científicas sugere que a camada externa do nosso Sol não mudou de forma significativa nos últimos bilhões de anos.
Lançada em 2000, a sonda ficou coletando partículas solares entre 2001 e 2004, quando sua cápsula de retorno foi fechada e enviada de volta à Terra.
Por uma falha nos pára-quedas, em vez de ser capturada por um helicóptero, a cápsula chocou-se violentamante no solo.
Apesar do incidente, os cientistas conseguiram recuperar as amostras. Com isso, a demonstração de que elas não foram contaminadas é uma parte importante para a validação dos resultados agora anunciados.
 - iT - Inovação Tecnológica -