terça-feira, 24 de agosto de 2010

Laços de Sangue Levantam Suspeitas em Concurso do IPS

HEMOGLOBINA, TODOS OS DIAS TEM QUE DAR A PICADINHA

O IPS(Instituto Português do Sangue) abriu um concurso público para a compra de testes de medição de hemoglobina sem a habitual picada no dedo. Mas a única empresa que comercializa esse aparelho em Portugal pertence ao filho do presidente Gabriel Olim.
"Não tenho nada a ver com isso", disse Gabriel Olim ao jornal Público, que relata um negócio literalmente marcado pelos laços de sangue dos responsáveis pela compra e a venda. "Acabei por saber por acaso", diz o filho, Nelson Olim, referindo-se ao concurso público à medida do seu produto e da sua empresa, a Med First.
Gabriel Olim, cujo mandato continua manchado pela defesa da discriminação dos homossexuais nas doações de sangue, disse ao Público que nem sequer sabe quem é o júri do concurso, embora admita ter falado com o filho sobre o assunto, garantindo que a solução entregue a concurso "é óptima".
Trata-se de um método não invasivo para os testes de hemoglobina, ao evitar a picada no dedo e assim evitando o risco de infecção. Por outro lado, o sistema de origem israelita também é mais barato que os restantes e Gabriel Olim ficou satisfeito com os testes feitos em Fevereiro passado. "Os resultados foram excelentes. É uma técnica mais barata, mais cómoda e que não causa resíduos", sintetiza Gabriel Olim.
Foi então que decidiu lançar um concurso para a compra destes testes no valor de 200 mil euros, com o critério do preço a ser determinante na escolha do vencedor. Mas das quatro empresas que disputam o mercado destes testes, apenas a do filho do presidente do IPS representa o modelo não-invasivo israelita.
Nelson Olim diz que apenas em Março conheceu este sistema numa viagem a Israel e propôs-se representar a marca em Portugal. Quanto ao concurso público a que acaba por ser o único concorrente, diz que acabou por saber dele "por acaso" no portal dos concursos na internet. A atestar da sua boa fé no negócio, o filho do presidente do IPS acrescentou que o facto de se ter apresentado a concurso com o seu nome "é o máximo da transparência."
Custa ver, todos os dias, a namorada, ter que dar a picada no dedo!
Mas... também custa saber que há "gente" corrupta a ganhar dinheiro ilicitamente neste país, á custa de quem sofre!
Com o peso que estes "senhores" têm na consciência, devem tomar muitos comprimidos para dormir! E..., terão a respectiva receita médica? Ou... ... ... ...
 - Público.pt -