segunda-feira, 30 de agosto de 2010

*BDM* - OFERTA DA ONU PARA A HUMANIDADE EM 7 IDIOMAS

BIBLIOTECA DIGITAL MUNDIAL ESTÁ ABERTA AO MUNDO

A BDM não oferecerá documentos correntes, a não ser com valor de património, que permitirão apreciar e conhecer melhor as culturas do mundo em idiomas diferentes: árabe, chinês, inglês, francês, russo, espanhol e português. Mas há documentos em mais de 50 idiomas.
Entre os tesouros está incluido o Hyakumanto Darani, um documento em japonês publicado no ano 764 e considerado o primeiro texto impresso da história; um relato dos azetecas que constitui a primeira menção do Menino Jesus no Novo Mundo; trabalhos de cientistas árabes revelando o mistério da álgebra; ossos utilizados como oráculos e esteiras chinesas; a Bíblia de Gutenberg; antigas fotos latino-americanas da Biblioteca Nacional do Brasil e a célebre Bíblia do Diabo, do século XIII, da Biblioteca Nacional da Suécia.
A biblioteca começa com 1200 documentos, mas foi pensada para receber um número ilimitado de textos, gravados, mapas, fotografias e ilustrações.
Cada relíquia da cultura universal aparece acompanhada de uma breve explicação do seu conteúdo e seu significado.
Os documentos foram incorporados no seu idioma original, mas as explicações aparecem em sete línguas, entre elas o PORTUGUÊS.
Apresentado oficialmente na sede da UNESCO, em Paris, a Biblioteca Digital Mundial já está disponível na Internet, através do sítio: http://www.wdl.org/.
O acesso é gratuito e os utilizadores podem ingressar directamente pela Web, sem necessidade de se registarem.

Permite ao internauta fazer busca por épocas, zonas geográficas, tipo de documento e instituição.
Toda a estrutura da BDM foi retirada do projecto de digitalização da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, que começou em 1991 e actualmente contém 11 milhões de documentos. Os responsáveis afirmam que a BDM está sobretudo destinada a investigadores, professores e alunos. Mas a importância que reveste este "sítio" vai muito além do convite ao estudo das novas gerações que vivem num mundo audio-visual.